Já foi notícia !

Fique a seber tudo sobre a comunidade portuguesa de França !

07/12

Google actualiza mapa de Portugal (3D)

Portugal está entre os países que foram alvo de uma actualização de mapas da Google. Para além dos novos mapas, a empresa norte-americana adicionou novas ferramentas que permitem ao utilizador um melhor efeito visual do local.

Em comunicado, a Google informa que os novos mapas são "mais detalhados e precisos", tendo sido adicionados novos nomes e locais em diversos pontos de interesse como aeroportos, universidades e praças públicas.

A empresa informática disponibiliza ainda uma nova ferramenta denominada "reportar um problema" e que pode ser utilizada pelos utilizadores para sugestão de correcções e incorporação nos mapas de outros espaços.

Das novas funcionalidades, os utilizadores do 'Google Maps' poderão encontrar também informações sobre ligações por ferry-boat em muitos locais com maior detalhe e identificação das mesmas, podendo ser tomadas como exemplo as ligações existentes no arquipélago dos Açores.

Também as estradas locais nestes mapas passam a poder ser distinguidas de forma precisa face às estradas principais e, por outro lado, nomes em diversos idiomas passam a estar igualmente disponíveis para uma larga proporção de estradas em muitos dos países alvo da actualização.

A Google refere que "estas melhorias dão aos utilizadores um melhor efeito visual do local bem como permitem uma navegação simples pela área quando se está no local".(23/07/2012/Fonte : Correio da Manhã)

Voltar

Remessas dos emigrantes crescem 17%

As remessas dos emigrantes cresceram 17,7% nos primeiros cinco meses deste ano face ao período homólogo de 2011, atingindo os 1.049,3 milhões de euros, revelam dados divulgados pelo Banco de Portugal.

O país de onde chega mais dinheiro é a França, com 343,9 milhões de euros nos primeiros cinco meses do ano, seguido da Suíça, com 239,7 milhões.

A Alemanha (70,9 milhões), os Estados Unidos (56 milhões) e a Espanha (50,2 milhões) completam os primeiros cinco lugares.

Do Reino Unido chegaram 48,3 milhões de euros, do Luxemburgo 29,3 milhões, do Canadá 18,2 milhões, da Venezuela 5,8 milhões e do Brasil 4,3 milhões.

Os restantes países enviaram em conjunto 119,3 milhões de euros.

Nos primeiros cinco meses deste ano, os depósitos feitos por emigrantes em bancos portugueses caíram 8,9%, passando de 37,3 milhões de euros de janeiro a maio de 2011 para 34 milhões no mesmo período de 2012.(20/07/2012/Fonte : Jornal de Notícias)

Voltar

Aveiro, Porto e Braga são os distritos com mais insolvências

O número de insolvências no primeiro semestre aumentou 41,6%, em termos homólogos, sendo que os distritos com mais incidentes são os de Aveiro, Porto e Braga, avança a Coface Serviços, no recente estudo sobre Ações de Insolvência, Créditos Vencidos e Constituições.

Naqueles distritos estão 82% das empresas ativas da fileira moda. Estão ainda 45,9% das empresas de madeira e cortiça e 46,6% das empresas de mobiliário. Estas empresas contribuíram, no seu conjunto, para 46,7% das insolvências (2056) e com 57% do aumento das insolvências (737 empresas). No entanto, estes municípios têm apenas 30,4% do total das empresas.

Em contraste, Lisboa com 27,3% do total das empresas ativas do país, contribuiu com apenas 14,3% para o aumento das insolvências (185 empresas). A capital tem na sua estrutura empresarial os segmentos com menos incidentes, caso do alimentar, saúde, cultura, turismo e lazer, transportes aéreos, comunicações e logística.

As fileiras e setores de atividade mais determinantes para as insolvências e incumprimentos junto de instituições financeiras permanecem iguais ao semestre de 2011, são a construção e imobiliário/lar. Depois vem a fileira da distribuição não automóvel e a seguir vem a moda, que inclui calçado e vestuário. Esta fileira tem sido menos penalizada, o que pode ser entendido como o resultado de uma estratégia destas empresas que se centram na exportação.

No primeiro semestre o número de insolvências cresceu com mais 1291 empresas, tendo chegado aos 4395 casos.
(19.07.12/Fonte : Oje)

Voltar

Lisboa: Sair do avião e apanhar o Metro

Transportes: Abrem hoje estações de Moscavide, Encarnação e Aeroporto.
Abrem hoje, a partir das 06h30, as estações do Metropolitano de Moscavide, Encarnação e Aeroporto. O prolongamento da Linha Vermelha – que liga a Linha Azul (São Sebastião) ao Oriente, passando pelo Saldanha (Linha Amarela) e Alameda (Linha Verde) – vai obrigar à supressão de algumas carreiras da Carris.

Quem não está satisfeito com a chegada do metropolitano ao aeroporto da Portela são os taxistas. António Lemos, 45 anos, afirma que vai perder clientes. "Vou ter muito menos serviços e estarei mais tempo à espera de um cliente porque muitas pessoas vão optar pelo Metro." Outro taxista, Eduardo Quintães, diz que no "Inverno vai ser ainda mais complicado, porque os clientes vão preferir andar de Metro".

Esta alteração na oferta dos transportes públicos da capital resulta numa poupança anual de 2,8 milhões de euros. Na inauguração oficial das novas estações, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou que a poupança resulta da reorganização da oferta da Carris em sete carreiras, que entrará em vigor no sábado. Uma delegação de trabalhadores do Metro marcou presença na cerimónia para entregar um manifesto ao Governante a solicitar uma reunião. Paulo Alves, um dos trabalhadores, afirmou que a dívida do sector dos transportes "não deve ser paga pelo Metro".

A estação do metro do Aeroporto liga directamente ao terminal de Chegadas. Nas galerias da estação há 53 caricaturas de personalidades portuguesas, de várias áreas, como Medicina, Artes e Música. Um trabalho do artista António, e que custou 200 mil euros.

O Metropolitano estima que 400 mil passageiros utilizem a extensão da Linha Vermelha até ao aeroporto, por mês. A obra teve um custo de 220 milhões de euros.

OBRAS PARA A REBOLEIRA NO PRÓXIMO ANO
As obras para a extensão do Metro até à Reboleira, na Amadora, devem ser retomadas no próximo ano, após o lançamento do concurso para o projecto de acabamentos, afirmou ontem o presidente do Conselho de Administração do Metropolitano, Cardoso Reis. O responsável afirmou que o túnel está a ser feito até à Reboleira e que "faltam os acabamentos". Para completar a obra falta investir 30 milhões de euros, num investimento total de 70 milhões de euros.(17/07/2012/Fonte : Jornal de Notícias)

Voltar

Intenções de consumo dos portugueses sobem em ano de crise

Um estudo da Cetelem prevê que nos próximos meses os portugueses gastem mais do que em 2011.

Vivem-se tempos de crise. Por essa razão não é de estranhar que os hábitos de poupança e consumo sejam afectados. Segundo o "Observador Cetelem 2012", nos próximos meses as intenções de poupança dos portugueses deverão ser menores do que em anos anteriores, mas acompanhadas ao mesmo tempo por uma subida das intenções de consumo.

Neste inquérito em que a Cetelem pretendeu avaliar as tendências e comportamentos de consumo dos portugueses, um dos dados que mais salta à vista é precisamente o aumento das intenções de gastos. De um total de 600 inquiridos em Portugal Continental, com idades entre os 18 e os 65 anos, 25% antecipam que ao longo dos próximos meses os seus gastos aumentem. Trata-se do nível mais elevado dos últimos três anos e uma inversão à tendência de queda constatada no mesmo estudo realizado em 2011. Nessa altura, apenas 20% dos inquiridos admitiam um aumento de gastos. Existem vários factos que poderão ajudar a explicar essa tendência. O aumento do IVA no início do ano e a subida dos preços de alguns serviços como a electricidade e o gás, são alguns exemplos. As mesmas justificações poderão ajudar a explicar a diminuição das intenções de poupança dos portugueses. Apenas 30% dos inquiridos acredita que as suas poupanças possam aumentar nos próximos meses. Trata-se de uma quebra ligeira face aos 32% que se verificou no ano passado, mas uma proporção que fica bastante aquém do que tinha acontecido em 2010. Nessa altura, a proporção de inquiridos a antever que conseguiria aumentar as suas poupanças era de 47%.

No estudo sobressai mais um dado curioso: os portugueses mostram-se disponíveis para abrir mais o cordão à bolsa para adquirir alguns produtos considerados "supérfluos". Mesmo numa época de crise, as viagens/lazer lideram as intenções de compra dos portugueses nos próximos meses- 26%-, acima dos 22% verificados em 2011. Parte da explicação poderá estar nas datas em que o inquérito foi realizado (entre 26 e 27 de Junho), quando muitos portugueses já se preparavam para ir de férias. Já a aquisição de telemóveis está no segundo lugar (15%). Também curioso é o facto dos equipamentos de desporto terem passado para terceiro lugar nas intenções de compras dos portugueses (11%).

Portugueses desanimados com situação do país
De acordo com os dados do estudo da Cetelem, os portugueses estão cada vez mais pessimistas em relação ao futuro. Numa escala de zero a dez, a média do universo de inquiridos deu uma nota de 3,18 à economia nacional, sendo que são sobretudo os mais velhos que dão mais sinais de preocupação. A nota é mais baixa em indivíduos entre os 55 e os 65 anos, que apenas atribuem uma classificação de 2,62 à situação económica. Por oposição, os jovens entre os 18 e os 24 anos são os mais confiantes, mas dão apenas uma classificação de 3,61. Contudo, a crise económica não afecta todas as camadas da população. Por isso, não será de estranhar que as classes mais desfavorecidas (C2/D) dêem a nota mais baixa à actual situação económica (2,71).(16/07/2012/Fonte : Diário Económico)

Voltar

Moscatel português eleito um dos três melhores do mundo

Um moscatel do Douro, colheita de 1980 da Adega de Favaios, foi declarado o 3.º melhor do mundo. Este moscatel, "doce sem exageros", é o único português no top 10 do concurso mundial de moscatéis de Montepellier. Uma distinção que vem mesmo a tempo das celebrações de 60 anos da adega e da inauguração do Museu de Favaios

Depois de em 2011 um moscatel luso ter sido declarado, pela primeira vez, o melhor do mundo, este ano é um moscatel duriense de 1980, "doce sem exageros", que acaba de conquistar o 3.º lugar no concurso mundial de moscatéis de Montepellier, França, a que concorrem 232 néctares de 24 países.

Os resultados do Muscats du Monde foram revelados esta semana e o vinho da Adega de Favaios é o único português no top 10, tendo também obtido uma medalha de ouro. A adega, que está a celebrar 60 anos de existência, foi também reconhecida pelo seu Moscatel 10 anos, que levou para "casa" a quarta medalha de ouro consecutiva.

O concurso contou com a participação de um júri composto por 55 elementos que realizaram uma prova cega. Este ano, foram destacados 33% dos vinhos com medalhas no concurso.

À frente do moscatel duriense, ficaram o Vin de Pays de l'Ile de Beauté Muscat Modérato Nectar 2011 e o BTL Lanzarote Moscatel Dulce (Espanha), este último declarado o melhor do mundo.

Além das distinções para Favaios, houve ainda honras para cinco moscatéis da península de Setúbal. O Moscatel de Setúbal - Reserva 2006, da casa Venâncio Costa Lima, que em 2011 foi declarado o melhor do mundo, um feito inédito para os moscatéis lusos, recebeu agora uma medalha de ouro. O mesmo prémio foi ainda para o Malo Tojo Estates 2009. Já a medalha de prata foi atribuída ao SIVIPA 1996, ao moscatel 2010 da Adega de Pegões e ao Reserva António Saramago 2007.

Favaios 1980
O Moscatel 1980 da Favaios , casta "100% Moscatel Galego", é apresentado como denotando "na cor âmbar dourada muito apelativa o seu envelhecimento de mais de 30 anos". Possui um aroma "muito intenso", com "notas de torrefacção", onde se destacam "os aromas a mel, passas e figos secos". "Doce", sim, mas, sublinham "sem exageros". É "encorpado e bastante harmonioso com aromas de boca a lembrar café, cacau e mel". Tem um teor alcoólico de 16,7% e foram produzidos 14.500 litros. Na loja online da Adega de Favaios, o moscatel 1980 está à venda por 26 euros. Segundo o enólogo Miguel Ferreira, "por si só pode e deve ser degustado de forma isolada" e casa na perfeição "com a variada doçaria conventual".


Museu de Favaios
Mais de uma década após o lançamento do projecto, é inaugurado este sábado o Museu de Favaios, em Alijó. Um núcleo museológico do Museu do Douro que é uma "homenagem, um reconhecimento às pessoas que souberam preservar dois produtos de excelência: o pão e o vinho de Favaios", segundo disse o presidente da Câmara de Alijó, Artur Cascarejo, à Lusa. O Núcleo Museológico Favaios, Pão e Vinho representa um investimento global de 834 mil euros. Numa primeira sala de exposições, o protagonista é o vinho e a casta que está na sua origem: a moscatel galego, fazendo referência ao solo, aos cheiros e cores do favaios. Numa segunda sala, as atenções viram-se para o pão, desde o cereal, à moagem e ao amassar deste produto.(13/07/2012/Fonte : Público)

Voltar

Fábricas de carros em Portugal produziram menos 17,6% em junho

As fábricas de automóveis em Portugal, como a Volkswagen Autoeuropa, PSA Peugeot Citroën ou Mitsubishi fabricaram menos carros, baixando a produção em 17,6% em junho face ao mês homólogo de 2011.

Segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), divulgados hoje, no mês de junho foram produzidos em Portugal 13907 veículos automóveis, o que representa um decréscimo de 17,6% face ao mês homólogo anterior.

Para a ACAP, a variação homóloga negativa "foi determinada pelo decréscimo da produção de veículos ligeiros e, em particular, pela diminuição registada no segmento dos ligeiros de passageiros".

Do total dos carros produzidos em junho, "destinaram-se à exportação 13775 veículos, ou seja, 99,1% da produção nacional, o que representa menos 17,2% do que os veículos exportados no mês homólogo do ano anterior".

Em termos de produção acumulada, ou seja, de janeiro a junho, também se registou uma quebra, mas de 4,6%, "a qual foi determinada, exclusivamente, pelo decréscimo da produção de veículos ligeiros de passageiros (10,6%), visto que a de comerciais ligeiros cresceu 11,4% e a de veículos pesados aumentou 26,3%", refere o comunicado da ACAP.

Do total da produção do primeiro semestre do ano, as exportações caíram 5% face ao número de veículos exportados no mesmo período do ano anterior.(13/07/2012/Fonte : Jornal de Notícias)

Voltar

Recessão custa ao País mais 185 mil empregos

Banco de Portugal prevê a destruição de 184,6 mil postos de trabalho este ano.

O "Diário Económico" escreve que nos últimos 20 anos, nunca a quebra do emprego teve consequências tão negativas para a atividade económica como irá ter este ano. O aviso é do Banco de Portugal, que voltou a piorar as previsões para o mercado de trabalho e a frisar as suas consequências no rendimento disponível das famílias.

De acordo com o Boletim Económico de Verão do Banco de Portugal, publicado ontem, há 20 anos que o fator trabalho não era tão prejudicial à economia. "Antevê-se um forte contributo do fator trabalho para a redução do PIB em 2012", avança o supervisor, prevendo que a quebra no emprego retire 2,6 pontos percentuais ao PIB este ano.

O relatório antecipa uma destruição de mais 184,6 mil postos de trabalho este ano e de 31,8 mil em 2013. Na previsão anterior, do Boletim da Primavera, as previsões apontavam para uma perda de apenas 170,5 mil empregados este ano.(11/07/2012/Fonte : Diário de Notícias)

Voltar

Mais de 90% dos turistas quer regressar a Lisboa

O clima ameno ao longo do ano, a hospitalidade e a relação qualidade/preço são os atributos destacados pelos turistas.

O Inquérito de Satisfação e Imagem, do Observatório do Turismo de Lisboa, mostra que 91% dos turistas que visitam Lisboa tem intenção de regressar à capital portuguesa, e perto de 80% dos entrevistados coloca Lisboa no Top 10 dos destinos a conhecer. O mesmo documento revela que cerca de 60% dos turistas considera que as suas expectativas foram superadas durante a visita a Lisboa e o grau de satisfação global com a visita a Lisboa é de perto de 90%.

Os atributos destacados pelos turistas da capital portuguesa são o clima ameno ao longo de todo o ano, a hospitalidade dos portugueses e uma "relação qualidade/preço inigualável em toda a Europa". A segurança da capital portuguesa é outro dos atributos apontados.

O Inquérito, que resulta de entrevistas a 2.838 a turistas estrangeiros de visita à Região de Lisboa, foi realizado nos meses de Abril, Junho, Agosto e Outubro do ano passado. Os entrevistados são provenientes de nove mercados (Alemanha, Bélgica/ Holanda, Brasil, Espanha, Escandinávia, EUA, Itália, França, Reino Unido/ Irlanda).

Os turistas brasileiros e os norte-americanos surgem como os mais satisfeitos com a visita a Lisboa, seguidos pelos italianos, alemães, britânicos e irlandeses.

O mesmo estudo mostra que mais de 80% dos turistas concorda que Lisboa é um destino humano, multicultural e tolerante, "único na sua cultura e romântico". Mais de 70% dos inquiridos afirma que se trata de um destino pacífico, tranquilo e agradável, mas também agitado e animado. Os turistas também caracterizam Lisboa como uma cidade moderna, bem conservada, criativa e 'trendy'.(10/07/2012/Fonte : Diário Económico)

Voltar

Avião militar da Embraer envolve nove empresas portuguesas

O Farnborough Air Show é a principal feira de aeronáutica mundial. Este ano conta com 17 empresas portuguesas.

A Empresa de Engenharia Aeronáutica gere 57 milhões de investimento para criar competências nesta indústria.

Sete meses após a assinatura dos contratos com a Embraer, a participação portuguesa no projecto do KC-390 já envolve mais de 50 engenheiros portugueses, de nove empresas. No curto prazo, poderá levar à criação de uma centena de postos de trabalho directos e indirectos. O balanço é de Jacinto Bettencourt, presidente da EEA - Empresa de Engenharia Aeronáutica, criada para gerir a presença nacional no projecto do futuro avião militar da Embraer.

Jacinto Bettencourt está em Farnborough, o maior salão aeronáutica mundial, a decorrer até dia 15 de Julho, em Hampshire, para mostrar que Portugal já tem um ‘cluster' aeronáutico. Um projecto em desenvolvimento até 2020, do qual a EEA tem a função de integrador todos os fornecedores nacionais.

Quando concluído, o projecto do KC-390 poderá gerar exportações na ordem de 400 milhões de euros, mas mais importante será o conhecimento adquirido no processo. O avião militar da Embraer pressupõe um investimento de cerca de 57 milhões de euros, verba que equivale ao "que é necessário investir para que as organizações portuguesas tenham capacidade para fornecer em primeira linha um construtor aeronáutico como a Embraer", explica o presidente da EEA.(10/07/2012/Fonte : Diário Económico)

Voltar

Visabeira arranca com redes de fibra no Interior [de Portugal]

A empresa liderada por Paulo Varela gastará cerca de 16,5 milhões de euros no projecto, que tem “um investimento estimado a 20 anos”.

Três anos depois, a fibra nas zonas rurais é desbloqueada com fundos comunitários.

A Viatel - empresa do grupo Visabeira - já arrancou com a construção das Redes de Nova geração (RNG) na zona centro do País, no âmbito do projecto do anterior Governo de ligar Portugal com fibra óptica. A construção da infra-estrutura está em velocidade de cruzeiro, com cerca de 30% do projecto já efectuado. O investimento ascende a 46,8 milhões de euros, entre fundos comunitários e nacionais e do próprio grupo.

"Para o projecto de nova geração da zona centro, o total de financiamento público ascende a 30,3 milhões de euros, sendo que 29,4 milhões de euros são provenientes de fundos comunitários e 900 mil euros de comparticipação nacional", explica fonte oficial da Visabeira, ao Diário Económico. No global, a empresa liderada por Paulo Varela gastará cerca de 16,5 milhões de euros no projecto, que tem "um investimento estimado a 20 anos".

Em 2009, o anterior Executivo realizou um concurso público para ligar as zonas rurais às novas redes que permitem velocidades de Internet ultra-rápida. O projecto previa a atribuição de fundos comunitários no valor de 50 milhões de euros, com um custo para Portugal Continental de 156 milhões de euros.(09/07/2012/Fonte : Diário Económico)

Voltar

Passos admite alargar cortes ao privado para colmatar 1000 milhões

O Tribunal Constitucional (TC) chumbou ontem o corte dos subsídios de férias e de Natal a funcionários públicos e o primeiro-ministro admite estudar "uma medida equivalente" e "alargada a todos os portugueses".

O Governo está obrigado a encontrar medidas orçamentais que representem 1065 milhões de euros para colmatar a reposição dos subsídios de férias e Natal, cujo corte resultou numa poupança desse valor no orçamento deste ano. Este é o valor líquido que constava do relatório do Orçamento do Estado (OE) para 2012, que foi entregue no Parlamento a 17 de outubro de 2011.

Os juízes do TC declararam a inconstitucionalidade da suspensão do pagamento dos subsídios de férias ou de Natal a funcionários públicos ou aposentados, mas determina que os efeitos desta decisão não tenham consequências este ano para não pôr em causa a meta do défice acordado com a troika. O TC justificou a decisão, aprovada por uma maioria de nove juízes contra três, considerando que "a dimensão da desigualdade de tratamento que resultava das normas sob fiscalização" violava o princípio da igualdade, consagrado no artigo 13.º da Constituição.

Em Lisboa, antes de assistir à estreia de uma peça de teatro, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou que o Governo terá de encontrar "uma medida em termos orçamentais equivalente" ao corte dos subsídios de Natal e férias, que "seja alargada a todos os portugueses". Sem entrar em pormenores, Passos admitiu que esse é uma medida a ponderar para o Orçamento do Estado de 2013.

O corte previsto no Orçamento do Estado, agora vetado pelo TC, abrange salários e pensões superiores a 600 euros brutos, mas só a partir dos 1.100 euros brutos é que a perda dos dois subsídios é total. Entre 600 e 1.100 euros, a perda é progressiva.
(06.07.12/Fonte : Oje)

Voltar

Dívida [das empresas] à Segurança Social dispara para 1,3 mil milhões

Dívidas atingiram, em 2011, o valor recorde de 8,5 mil milhões de euros.

O "Jornal de Negócios" escreve que as dívidas das empresas e trabalhadores independentes à Segurança Social subiu 1,3 mil milhões de euros em 2011, o que corresponde a um agravamento equivalente a 1% do PIB. Embora a deterioração das condições económicas ajude a explicar o fenómeno, cerca de 950 milhões resultam do regresso às contas da Segurança Social da dívida titularizada ao Citigroup em 2003. A incorporação dos valores da titularização é a principal componente explicativa deste salto gigantesco da dívida.

A dívida global ascende agora a 8,5 mil milhões de euros.(04/07/2012/Fonte : Diário de Notícias)

Voltar

Negócios imobiliários com queda histórica de 44%

O peso das transacções imobiliárias no PIB caiu para 3,7% em 2011, metade do que valia um ano antes.

Em 2011 foram comunicadas ao Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI) 41.050 transacções imobiliárias, no total de cerca de 6,4 mil milhões de euros. As comunicações ao regulador representam uma queda histórica nos negócios realizados no ano passado. O montante global caiu quase metade face a 2010: foram menos cinco mil milhões de euros de transacções, uma quebra de 44%.

Os números confirmam a crise sem precedentes no sector e os valores mais baixos da última década, numa altura em que as transacções imobiliárias representam 3,7% do PIB nacional, contra os 7% que representavam há dois anos.

"Em 2011 foram comunicadas ao InCI o um total de 41.050 transacções imobiliárias, o que representa uma variação de menos 37% [menos 24.027 transacções] face a 2010. Esta diminuição reflecte a tendência da fileira da construção e do imobiliário, sectores nos quais a crise tem tido especial incidência", revelou ao Diário Económico fonte oficial do ao regulador da actividade da construção, mediação e angariação imobiliária. O InCI dá ainda conta que as transacções imobiliárias comunicadas, no ano passado, ascenderam a 6,4 mil milhões de euros, menos 44% [cinco mil milhões de euros] face ao período homólogo.(03/07/2012/Fonte : Diário Económico)

Voltar

Portugal na China está na moda. Há que aproveitar

Negócios entre os dois países aumentam.
Nas privatizações, as empresas chinesas foram até agora as grandes vencedoras. Portugal quer vender dívida à China. E quer as empresas portuguesas a venderem ao Império do Meio.

Lisboa está a 9.800 quilómetros de Pequim. Entre as duas capitais há sete horas de diferença. Portugal tem 10 milhões de pessoas. A China tem 1,3 mil milhões. Só em Pequim e Xangai vivem perto de 20 milhões. Há mais de 100 cidades com mais de um milhão de pessoas. Há uma classe média de 200 milhões de pessoas. A economia cresceu no último ano cerca de 9%.(03/07/2012/Fonte : Jornal de Negócios)

Voltar